Cargas vs Repetições – quando utilizar?

Cargas vs Repetições – quando utilizar?

Quem nunca se questionou sobre o seu treino atual e o porquê de não estar atingindo resultados satisfatórios?

Algumas variáveis são extremamente importantes para que você obtenha o máximo desempenho do seu treino. E hoje falaremos sobre uma delas, que é a relação Carga x Repetições do seu treinamento, onde com algumas dicas e detalhes básicos esperamos ajudá-los a evoluir e atingir seus objetivos.

Primeiramente vamos esclarecer que o famoso 4×8 e 3×10 tem base científica e é comprovadamente um número excelente para determinado exercício quando é aplicado da maneira correta. Entenda, esse número é uma base a ser seguida e pode variar para mais ou para menos, ou seja, não fique frustrado quando o professor prescreve essa combinação clássica da musculação, pois ele precisa determinar um número X a ser atingido (aproximado), o que você precisa saber, é que todo exercício deve ser realizado até a fadiga total do músculo alvo, e é aí que entra a relação CARGA, pois é de sua responsabilidade utilizar a carga ideal para atingir essa “falha muscular” próximo do número de repetições estipulados no protocolo de treinamento.

Esclarecido isso, e eximindo o professor da culpa NESSE CASO. Por que trabalhar entre 8 a 10 repetições? Estudos comprovam que o ideal para resultados satisfatórios em hipertrofia muscular é de que o indivíduo trabalhe com 80% da carga que ele suporta em 1RM (RM = simulação onde o indivíduo utiliza o máximo de carga para uma repetição, ex. 100kg para 1 movimento completo, 80% de 1RM = 80kg).

Trabalhar bem esses conceitos é a base ideal de trabalho, pois é o que vai determinar toda estrutura e planejamento de treinamento. Mas será que manter essa base por tempo indeterminado é satisfatório? NÃO, como tudo que envolve o corpo humano, não podemos simplificar e tabelar as coisas, a individualidade é e sempre será a palavra chave para um trabalho de qualidade que resulte bons resultados.

Exemplo: considerando um indivíduo com 70kg e parcialmente treinado (intermediário) provavelmente não terá capacidade fisiológica para desempenhar um bom treinamento TENSIONAL (altas cargas e poucas repetições) pois ainda não contém estrutura física suficiente para suportar a demanda de cargas necessárias, onde o interessante seria migrar para um treino de FORÇA (altas cargas e poucas repetições) buscando aumentar sua capacidade física e estrutural para posteriormente realizar um bom treinamento com pesos e repetições adequadas.

Assim como, o indivíduo de 110kg que contém um ótimo volume muscular mas um condicionamento fraco, onde deixa a desejar em relação ao desenho do corpo e os detalhes da musculatura. Este poderia considerar uma mudança de rotina, para um treino mais METABÓLICO (carga intermédia e altas repetições) onde o trabalho de hipertrofia continua em ação, porém o condicionamento será elevado e trará ótimos resultados a médio prazo, desde que o empenho seja sempre impecável.

Agora vem a confusão, e se dissermos que o inverso é contraditório mas pode ser considerável? O treino METABÓLICO também age de maneira muito eficiente para hipertrofia, inclusive em indivíduos com baixo peso e pouca estrutura, pois ele aumenta consideravelmente o fluxo sanguíneo e consequentemente leva maior carga de nutrientes para as células musculares, neste tipo de treino, você cria muito estresse muscular e assim pode recrutar também um maior número de fibras musculares. Em contrapartida, o indivíduo mais pesado, pode sim, atingir um ótimo nível de condicionamento com o treino padrão TENSIONAL, pois é comprovado que um treino de alta intensidade é ainda melhor que o exercício aeróbico para a queima de gordura e condicionamento físico.

Como sempre, não existe receita pronta para o treino, pois o mesmo deve ser sempre personalizado de acordo com as suas características e individualidades. Assim como a sua dieta e suplementação também devem variar de acordo com a sua periodização e com seus objetivos e fases pré determinadas pelo seu orientador físico e nutricionista.

Dessa vez nossa intenção e objetivo não foi resumir o assunto determinado, e sim abrir um pouco mais o campo de visão em relação as variáveis e ferramentas disponíveis, até porque o mesmo não se limita a literatura, é vivenciado e posto na prática, essa é a única maneira de entender e tirar o máximo proveito dessas informações.

Esperamos ter levantado alguns pontos que possam ser cruciais no momento para vocês e que a partir disso busquem os profissionais da área e exponham suas dificuldades com um pouco mais de embasamento no assunto, pois a responsabilidade é totalmente sua de correr atrás e tentar melhorar, e a responsabilidade do profissional responsável é de planejar e aplicar as soluções corretas para que vocês possam atingir seus objetivos de forma mais rápida e segura, se mantendo em constante evolução.

Gostaram do conteúdo? Compartilhe com seus amigos para fortalecer nosso trabalho.

Ficou com dúvidas? Deixe seu comentário na postagem ou nos envie uma mensagem através do Fale Conosco. Seu feedback é muito importante.  

Você também pode assinar nossa Newsletter para receber todas as postagens por e-mail com exclusividade e não perder nenhum conteúdo. Para se cadastrar é muito fácil, basta inserir seu e-mail no rodapé da página principal.

Muito obrigado e até a próxima postagem ..

Deixe uma resposta

Fechar Menu